29 de jul de 2014

12 de jul de 2014

#

"Pequenas partículas do mal estavam espalhadas por todo o cosmos, mas a
soma de todo esse mal é um grão de areia comparado com a bondade, a
abundância, a esperança e o amor incondicional dos quais o Universo está
inundado. A estrutura essencial da outra dimensão é amor e aceitação, e
qualquer coisa que não tenha essas virtudes está imediatamente deslocada
por lá.
O livre-arbítrio, porém, se estabelece à custa da perda ou da diminuição
do amor e da aceitação. Nós somos livres; mas somos confinados a um
ambiente que conspira para nos fazer sentir que não somos livres. O livre arbítrio
é crucial para desempenharmos o nosso papel na vida terrena – o
papel que nos permitirá ascender à dimensão atemporal mais elevada, que
todos nós descobriremos um dia. A nossa vida aqui pode parecer
insignificante, pois é mínima em relação às outras vidas e aos outros
mundos que povoam os universos visíveis e invisíveis. Mas ela é também
muitíssimo importante, uma vez que o nosso papel é crescer na direção de
Deus. Esse crescimento é vigiado pelos seres do mundo espiritual lá em
cima: os espíritos e os seres reluzentes (aqueles que encontrei no Portal, e
que acredito serem a origem do conceito de anjos da nossa cultura).
Nós, os seres espirituais que habitamos em cérebros e corpos mortais,
fazemos escolhas reais. Pensamento verdadeiro não tem a ver com o
cérebro. Mas temos sido tão treinados (em parte pelo próprio cérebro) a
associar a mente com quem somos e com o que pensamos que perdemos a
capacidade de perceber que somos muito mais do que nosso cérebro e
nosso corpo físico determinam."

Uma prova do Céu- Eben Alexander