27 de mai de 2013

#


Você constrói uma história com o amor mais puro , o carinho mais intenso e quando se dá conta o castelo tem desmoronado . Você não pode fazer nada além de se conformar , flor , rosa . Rosa que murchou por sessenta segundos , mas depois sentiu a necessidade de regar-se , pois ngm além de si podia fazer isso por ela . Regou . Regou sua existência . Existir ? É o bastante ?

Saiu se regando para ver se conseguia alcançar o aspecto de vida novamente .

E regou mais . Regou . Rosa regou . Regou-se . Só não conseguiu regar a história que tivera vivido . Sim , aquela história que só viverá agora em suas lembranças como boa menina que é . 
Mas espera ai ... Rosa é rebelde !
Achou-se no meio do caminho da 'murchadura' e foi atrás do seu cravo , mesmo sabendo que nesse caminho tinha catado os espinhos e seu cravo não conseguiria nunca mais tocar suas pétalas sem sentir dor . 

- Bei jea Camaleoa

25 de mai de 2013

24 de mai de 2013

21 de mai de 2013

Queria ter o dom de escrever com palavras, que expressassem de forma clara, exatamente o que sinto.

#

Somos como árvores...
 Primeiro dizem que somos uma sementinha, depois que germinamos, crescemos aos poucos, vamos ficando firmes e engrossando nossas raízes.  Ficamos verdes, depois maduros. Em determinado período geramos frutos, mas não são todas as árvores que geram frutos. Nem todas as árvores são belas, nem todas as árvores possuem folhas o suficiente para uma boa sombra. Existem árvores que são secas, já outras são altas. Algumas produzem frutos bons, outras nem tanto. Um dia a árvore envelhece e deixa de lado alguns de seus hábitos, já não é mais tão viva como antes. Um dia deixamos de existir, de dar frutos, de crescer, de dar sombra. 
Somos como árvores.
G.V
Engraçado mesmo é o psicológico do ser humano, de repente fica abalado, contrariado, pilhado.

Encontrei dentro de um livro

20 de mai de 2013

Achei lindo e muito inteligente *-*

Adulto: Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro dela mesma (Andrés Felipe Bedoya, 8 anos)
Ancião: É um homem que fica sentado o dia todo (Maryluz Arbeláez, 9 anos)
Água: Transparência que se pode tomar (Tatiana Ramírez, 7 anos)
Branco: O branco é uma cor que não pinta (Jonathan Ramírez, 11 anos)
Céu: De onde sai o dia (Duván Arnulfo Arango, 8 anos)
Colômbia: É uma partida de futebol (Diego Giraldo, 8 anos)
Dinheiro: Coisa de interesse para os outros com a qual se faz amigos e, sem ela, se faz inimigos (Ana María Noreña, 12 anos)
Deus: É o amor com cabelo grande e poderes (Ana Milena Hurtado, 5 anos)
Escuridão: É como o frescor da noite (Ana Cristina Henao, 8 anos)
Guerra: Gente que se mata por um pedaço de terra ou de paz (Juan Carlos Mejía, 11 anos)
Inveja: Atirar pedras nos amigos (Alejandro Tobón, 7 anos)
Igreja: Onde a pessoa vai perdoar Deus (Natalia Bueno, 7 anos)
Lua: É o que nos dá a noite (Leidy Johanna García, 8 anos)
Mãe: Mãe entende e depois vai dormir (Juan Alzate, 6 anos)
Paz: Quando a pessoa se perdoa (Juan Camilo Hurtado, 8 anos)
Sexo: É uma pessoa que se beija em cima da outra (Luisa Pates, 8 anos)
Solidão: Tristeza que dá na pessoa às vezes (Iván Darío López, 10 anos)
Tempo: Coisa que passa para lembrar (Jorge Armando, 8 anos)
Universo: Casa das estrelas (Carlos Gómez, 12 anos)
Violência: Parte ruim da paz (Sara Martínez, 7 anos)
Fonte: livro "Casa das estrelas: o universo contado pelas crianças", de Javier Naranjo

19 de mai de 2013

Deus que perdoe minhas palavras, mas as vezes acho que você deveria morrer logo.  Ô karma -.-'

13 de mai de 2013

Uma novidade pra vocês ...

Vou usar óculos, eles chegam sexta-feira. Digo eles porque fiquei na dúvida entre dois na compra e como estavam baratos comprei ambos KKKKKK' 

#

Na estranha anomalia de minha existência, os sentimentos nunca me proviam do coração, e minhas paixões eram sempre de espírito. Através do crepúsculo matutino, entre as sombras estriadas da floresta, ao meio dia, e no silêncio de minha biblioteca, à noite, esvoaçara ela diante de meus olhos e eu a contemplara, não como a viva e respirante Berenice, mas como a Berenice de um sonho; não como um ser da terra, terreno, mas como a abstração de tal ser; não como coisa para admirar, mas para analisar; não como um objeto de amor, mas como o tema da mais abstrusa, embora inconstante, especulação. E agora... agora eu estremecia na sua presença e empalidecia à sua aproximação; 

Berenice - Edgar Allan Poe

5 de mai de 2013

Espero que sinta o mesmo, nessas situações.
Você em, tsc tsc.

4 de mai de 2013


Before I had a chance to reach down and give my hand to you

like a champagne cork you got up
and disappeared  ♫

3 de mai de 2013

















Salmos 100:5

Porque o Senhor é bom, e é eterna a sua misericórdia; a sua verdade dura de geração em geração.

Água Marinha

Tão grande, tão pequena
Sozinha é a água marinha
Com os outros, só ausência.

Seu valor precioso se torna pequeno

Quando vê que poderia ter nascido grande
Entre as grandes pedras é só água marinha

Vive feliz com seu brilho pequeno

Não tem culpa de cintilar tão pouco
E fica triste por isso

Na verdade queria ter nascido maior 

Não queria ser nem diamante nem rubi
Antes fosse uma pedra de meio de rua

Achada entre tantas outras

Cuidada por mãos afáveis
Cortada por mãos que corrigem
Polida para brilhar acima das comuns

Na coleção da bela senhora as outras dormem

                                         [um sono tranquilo
A pequena marinha se distingue
Por saber quem é.

Carlos Barata

2 de mai de 2013


Feche os olhos, menina bonita
Porque é mais fácil quando você se prepara
Foque seus pensamentos num mundo distante.
Onde só choramos de alegria

set apart this dream- flyleaf

Quero

Não quero ser uma pessoa pessoa fria devido as coisas por que passei, não quero deixar de viver coisas incríveis com medo de errar novamente, eu quero amar mais, quero rir mais e quero abraçar muito mais também. Preciso sentir todos os dias os raios de sol em meu rosto e perceber o quanto é lindo e maravilhoso o simples fato de estar aqui. Quero saltar para longe, voar completamente para horizontes novos, infinitos. Quero estar em paz comigo mesma, poder sentir a essência da natureza a minha volta, quero que o vento bagunce meu cabelo de novo e que minhas lágrimas possam deixar meu rosto salgado, mas que meus sorrisos venham como açúcar e se derretam como calda e virem caramelo. Não quero olhar para trás triste simplesmente porque as coisas não saíram como planejei, quero olhar para trás alegre e perceber que é por causa do que passei que hoje estou aqui! Quero poder escrever meus poemas e meus textos de maneira cada vez mais degustável, quero fazer as pessoas sentirem coisas boas com meus versos e palavras. Quero ser infinita em mim mesma. Quero ser brotinho, como descrito por Paulo Mendes e da forma ele já dizia, porém parafraseadamente:   quero adorar o impossível, quero detestar o possível, quero manter o ritmo na melodia dissonante, quero esvaziar o sentido das coisas que são cheias de sentido, quero lançar fogo pelos olhos, quero poder chegar em casa ensopada de chuva "úmida camélia" [...] Quero poder dançar com os bracinhos no ar como a bailarina de Cecília Meireles, quero quero e quero.

1 de mai de 2013