21 de jun de 2012

Aw

Ela tinha uma expressão penitente.
- Eu serei boazinha - Ela disse, como uma criança levada. - Prometo ...
- Obedecer como um marinheiro obedece a um capitão?
- Sim - Ela respondeu - Foi uma coisa estúpida o que eu fiz, eu sei.
- Então você tem de me prometer uma coisa- arrisquei.
 - Com prazer.
 - Que você não vai pedir "por favor, por favor" com muita frequência; pois quando você pedir certamente irá neutralizar minha autoridade.
Ela riu com divertida apreciação. Ela, também, havia percebido o poder da expressão "por favor" ao ser repetida.


                                                                           (O Lobo do Mar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário