2 de mai de 2013

Quero

Não quero ser uma pessoa pessoa fria devido as coisas por que passei, não quero deixar de viver coisas incríveis com medo de errar novamente, eu quero amar mais, quero rir mais e quero abraçar muito mais também. Preciso sentir todos os dias os raios de sol em meu rosto e perceber o quanto é lindo e maravilhoso o simples fato de estar aqui. Quero saltar para longe, voar completamente para horizontes novos, infinitos. Quero estar em paz comigo mesma, poder sentir a essência da natureza a minha volta, quero que o vento bagunce meu cabelo de novo e que minhas lágrimas possam deixar meu rosto salgado, mas que meus sorrisos venham como açúcar e se derretam como calda e virem caramelo. Não quero olhar para trás triste simplesmente porque as coisas não saíram como planejei, quero olhar para trás alegre e perceber que é por causa do que passei que hoje estou aqui! Quero poder escrever meus poemas e meus textos de maneira cada vez mais degustável, quero fazer as pessoas sentirem coisas boas com meus versos e palavras. Quero ser infinita em mim mesma. Quero ser brotinho, como descrito por Paulo Mendes e da forma ele já dizia, porém parafraseadamente:   quero adorar o impossível, quero detestar o possível, quero manter o ritmo na melodia dissonante, quero esvaziar o sentido das coisas que são cheias de sentido, quero lançar fogo pelos olhos, quero poder chegar em casa ensopada de chuva "úmida camélia" [...] Quero poder dançar com os bracinhos no ar como a bailarina de Cecília Meireles, quero quero e quero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário