28 de abr de 2014

#


Duramente ferido ele se lança ao oceano, suas mãos estavam cortadas pelas cordas do mastro do navio, suas costas estavam doloridas de passar tantos dias sem uma cama em alto mar. Ele se joga, sem esperança e sem oportunidades de uma vida genuinamente feliz. Suas cicatrizes mostram o quão sofrida foi sua vida. Após jogar-se pôde sentir o corpo entorpecer, era como se todas as cicatrizes estivessem sendo curadas pela água fria e salgada do Pacífico. Em seu último suspiro sentiu toques suaves em seu rosto, e num último piscar de olhos lá estavam elas, as sereias. Longos cabelos cor de prata, e peles num tom claro de azul, elas eram os seres mais belos que ele já tinha visto em toda sua vida de marinheiro, mas estava morrendo, seria aquilo uma alucinação? ou mais um mistério do universo? Ele fecha os olhos e sente a água fria congelar-le o corpo, se deixa levar pelos mais loucos devaneios e enfim parte.

W.S

Nenhum comentário:

Postar um comentário